Amigdalites frequentes? Como prevenir e tratar essa condição comum na infância

Amigdalites frequentes? Como prevenir e tratar essa condição comum na infância

As amigdalites, caracterizadas pela inflamação das amígdalas, são frequentes na infância e, embora geralmente benignas, podem causar desconforto significativo e até mesmo complicações graves. Este artigo visa informar sobre as causas, sintomas, prevenção e tratamento das amigdalites, focando na população infantil.

O que é amigdalite?

A amigdalite é uma inflamação das amígdalas, as duas estruturas localizadas nas paredes do fundo da garganta, uma de cada lado. As amígdalas desempenham um papel crucial no sistema imunológico, ajudando a impedir que microorganismos nocivos entrem no corpo através da garganta. Contudo, quando são atacadas por vírus ou bactérias fortes, podem se infectar e inchar, resultando em amigdalite. Essa condição pode causar dor de garganta, dificuldade para engolir e outros sintomas desconfortáveis.

Causas

As amigdalites são principalmente causadas por infecções virais, como o vírus do resfriado comum. No entanto, infecções bacterianas também podem ser responsáveis, sendo a mais comum a causada pela bactéria *Streptococcus pyogenes* (estreptococo do grupo A). Outros agentes virais e bacterianos também podem desencadear amigdalites, tornando fundamental a identificação correta para um tratamento adequado.

As amigdalites podem ser causadas por uma variedade de agentes infecciosos. As principais causas incluem:

Infecções virais:

  • Vírus do resfriado comum
  • Vírus da gripe
  • Adenovírus
  • Vírus Epstein-Barr (causador da mononucleose)
  • Herpes simples
  • Enterovírus

Infecções bacterianas:

  • Streptococcus pyogenes (estreptococo do grupo A) – a causa bacteriana mais comum
  • Streptococcus pneumoniae
  • Staphylococcus aureus
  • Haemophilus influenzae
  • Neisseria gonorrhoeae

Sintomas

Identificar a causa exata da amigdalite é crucial para determinar o tratamento mais adequado e eficaz.
Os sintomas das amigdalites variam em gravidade, mas os mais comuns incluem:

  • Dor de garganta contínua: Esse é um dos sintomas mais recorrentes, dificultando atividades diárias.
  • Dificuldade para engolir e falta de apetite: Esses são frequentemente os primeiros sinais notados pelos pais.
  • Amígdalas vermelhas e inchadas: Indicando inflamação.
  • Manchas brancas ou amarelas nas amígdalas: Podem ser sinais de infecção bacteriana.
  • Febre alta e calafrios: Sintomas comuns que acompanham infecções.
  • Dor de cabeça: Muitas vezes associada a infecções e febre.
  • Dor de estômago, náusea e vômito: Sintomas que podem ocorrer em conjunto com a febre.
  • Dor de ouvido: A dor de garganta pode irradiar para os ouvidos.
  • Mau hálito: Resultante da infecção na garganta.
  • Ronco ou respiração pela boca ao dormir: Devido ao inchaço das amígdalas.
  • Gânglios inchados no pescoço e maxilar: Indicando resposta do sistema imunológico.
  • Voz rouca ou perda da voz: Devido à inflamação da garganta.
  • Baba: Pode ocorrer devido à dificuldade em engolir.

Esses sintomas podem variar em intensidade e nem todos podem estar presentes em todos os casos. Se os sintomas persistirem ou se houver sinais de complicações, é importante procurar orientação médica.

Como prevenir amigdalites em crianças

Prevenir amigdalites em crianças envolve práticas que fortalecem o sistema imunológico e minimizam a exposição a agentes infecciosos. Aqui estão algumas estratégias eficazes:

  • Higiene das mãos: ensinar e reforçar a importância de lavar as mãos regularmente com água e sabão, especialmente antes das refeições e após usar o banheiro.
  • Evitar contato com pessoas doentes: manter distância de indivíduos com infecções respiratórias ou amigdalite para reduzir o risco de contágio.
  • Vacinação atualizada: garantir que as vacinas estejam em dia, incluindo a vacina contra a gripe, para proteger contra vírus comuns que podem causar amigdalite.
  • Alimentação saudável: oferecer uma dieta balanceada rica em frutas, legumes, proteínas e grãos integrais para fortalecer o sistema imunológico.
  • Hidratação adequada: incentivar a ingestão de líquidos, especialmente água, para manter a garganta úmida e saudável.
  • Ambiente limpo: manter a casa limpa e livre de poeira e alérgenos que podem irritar a garganta.
  • Não compartilhar utensílios: evitar que a criança compartilhe copos, talheres e pratos com outras pessoas, prevenindo a disseminação de germes.
  • Boas práticas de higiene bucal: incentivar a escovação dos dentes e o uso do fio dental regularmente para reduzir a carga bacteriana na boca.
  • Repouso adequado: garantir que a criança tenha um sono de qualidade e em quantidade suficiente para fortalecer o sistema imunológico.

Implementar essas práticas pode ajudar a reduzir significativamente o risco de amigdalite em crianças, mantendo-as saudáveis e menos propensas a infecções.

Prevenção em adultos

Embora nem sempre seja possível prevenir as amigdalites, algumas medidas podem reduzir o risco de infecção:

  • Lavar as mãos com frequência com água e sabão.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Cobrir a boca e o nariz ao tossir ou espirrar.
  • Manter boa higiene bucal escovando os dentes e usando fio dental regularmente.
  • Evitar fumar e a exposição à fumaça passiva.

Tratamento

O tratamento depende da causa da amigdalite:

  • Infecções virais: geralmente se resolvem sozinhas em alguns dias. Recomenda-se repouso, hidratação e medicamentos para aliviar os sintomas, como paracetamol ou ibuprofeno.
  • Infecções bacterianas: requerem tratamento com antibióticos. É importante seguir todo o curso do tratamento, mesmo que os sintomas melhorem antes, para evitar complicações.

Amigdalectomia

Em alguns casos, a remoção cirúrgica das amígdalas (amigdalectomia) pode ser necessária, se as amigdalites forem frequentes ou graves. Essa decisão deve ser tomada por um médico especialista, após avaliação individualizada do paciente.

Quando procurar atendimento médico

Procure atendimento médico se você ou seu filho apresentar:

  • Dor de garganta intensa que não melhora após dois dias
  • Dificuldade para engolir ou respirar
  • Febre alta
  • Dor de cabeça intensa
  • Náusea e vômito persistentes

Conclusão

As amigdalites, embora comuns na infância, podem causar desconforto e, em casos raros, complicações. Seguindo as medidas preventivas e buscando atendimento médico quando necessário, você pode ajudar a reduzir o risco de infecção e garantir o bem-estar da criança.

Lembre-se: Este conteúdo informativo não substitui o acompanhamento médico profissional. Consulte sempre um médico para um diagnóstico preciso e tratamento adequado.


Dra Janini Figueiredo

A Dra. Janini Figueiredo é uma otorrinolaringologista experiente que oferece tratamentos avançados para distúrbios do sono, como ronco, apneia do sono e desvio septal.

LOCALIZAÇÃO

Estrada do Galeão, 1285 - salas 311, 312 e 314 - Ilha do Governador / RJ

REDES SOCIAIS

HORÁRIO

Segunda a Sexta 8:00 às 17:30
Sábados 8:00 às 11:00
Domingos e feriados: Fechado


Termos e serviços
Nosso material tem caráter meramente informativo e não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Em caso de dúvidas, consulte o seu médico.
LGPD - Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais

A Dra Janini Figueiredo trata com seriedade, confidencialidade e integridade todos os dados pessoais que se encontram sob a sua responsabilidade. Aqui cuidamos não apenas da sua saúde, mas também do sigilo das informações dos pacientes, aboradores, médicos, prestadores de serviço e fornecedores. Requisições relacionadas à Lei Geral de Dados Pessoais (LGPD)? Entre em contato com a clínicas no e-mail: contato@drajaninifigueiredo.com.br.


2024 © Dra Janini Figueiredo - Todos os direitos Reservados

Elton Disner programador WordPress


(21) 2462-5512

(21) 981293960

Estrada do Galeão, 1285 - salas 311, 312 e 314 - Ilha do Governador / RJ

Segunda a Sexta 8:00 às 17:30
Sábados 8:00 às 11:00
Domingos e feriados: Fechado